Páginas

Usos inusitados do GPS – SmartPhones

GPS é um sistema de informação geográfica que fornece, a partir da comunicação entre satélites, as coordenadas de um lugar na Terra a um aparelho receptor de sinais similar a um celular – ou a celular de fato. A tecnologia GPS, sigla que vem do inglês Global Positioning System, foi desenvolvida no início da década de 1970 pelo Departamento de Defesa Americano com fins civis e militares, mas hoje seus usos vão muito além da aviação e navegação marítima. A tecnologia literalmente caiu na mão e na criação do povo, e com isso tem ganhado uma diversidade de interfaces e funcionalidades.

A partir de 2007, com a chegada do aparelho celular da Apple - o iPhone 3G, lançado no Brasil em 2008 -, abriu-se um novo leque de usuários e de aplicações para a tecnologia GPS. Este aparelho, com tela sensível ao toque, contém bússola digital [Figura 1] e um sensor de aceleração da gravidade – o acelerômetro.
Figura 1 – iPhone. Fonte: www.iphone.com, 2009.

Para abastecer o mercado de aplicativos para esse aparelhinho tão cheio de sensores e possibilidades, a Apple criou uma loja virtual chamada iTunes Store [1] que permite que desenvolvedores independentes criem e coloquem seus softwares à venda, ficando uma porcentagem dos lucros para a empresa. Dentro do iTunes pode-se visualizar os aplicativos mais vendidos e baixados, além da buscar por categoria: entretenimento, saúde, finanças, esportes, viagens, navegação (onde estão os relacionados ao uso de GPS), entre outros.

O aplicativo brasileiro mais vendido na iTunes Store é o iRadar Brasil 2.0 - um software que contém uma lista de mais de oito mil radares, câmeras de semáforos e lombadas eletrônicas em todo o Brasil. Esse aplicativo usa GPS ou triangulação de redes de celular e Wi-Fi para identificar a localização do usuário e os radares que estão à sua volta. Ativado, o iRadar avisa quando um radar eletrônico se aproxima com um alerta sonoro ou vibratório para que o motorista possa reduzir a velocidade do seu automóvel antes do “pardal”, e também pare no sinal vermelho em caso de semáforos controlados, evitando as inconvenientes multas no final do mês. Na telinha do iPhone 3G é possível visualizar mapa, foto de satélite ou uma lista com todos os dispositivos de controle de infração de trânsito em um raio escolhido, e ainda adicionar novos radares pelo próprio aparelho [Figura 2]. Mas os criadores advertem:
Em hipótese alguma mexa nas configurações enquanto estiver dirigindo. Este tipo de atividade pode distraí-lo e causar um acidente. Configure o iRadar antes de entrar no veículo.
Figura 2 - Visualização do iRadar 2.0 no iPhone. Azul: seu carro; Roxo: radares de velocidade; Vermelho: radares de semáforo; Verde: localização de polícia rodoviária. Fonte: iTunes, 2009.

Um outro aplicativo, o Wikitude World Browser [2] , desenvolvido para plataforma Android [3] e em desenvolvimento para o iPhone 3G, mostra um balão com informações sobre um ponto turístico ou edificação histórica que esteja sendo visualizada, em tempo real, pela câmera de um aparelho celular que possua GPS e bússola digital. O software, ao contrário do que aparenta, não é capaz de identificar um castelo ou museu pela sua forma e imagem. O recurso utilizado para identificar um local turístico se dá pela soma da informação da bússola aos dados geográficos, e assim é possível saber não somente a localização como também a orientação para onde o aparelho celular está direcionado em relação ao espaço 3D. Sabendo onde você está, no mundo, e para onde você (no caso, sua câmera) está olhando, o software se encarrega de procurar os dados do entorno orientado àquele ponto. O Wikitude World Browser se mostra muito útil para turistas que desejam saber mais sobre seus locais de visitação sem ter sua privacidade reduzida por um guia ou grupos de excursão. Para saber mais sobre um castelo, uma torre ou uma ponte, basta mirar a câmera do celular para o local que, sobreposta à imagem e em tempo real, aparecerá uma caixinha de texto dizendo sua distância do objeto, do que se trata, ano de construção, um pouco da história e dados úteis como horário de visitação e tarifa, se for o caso [Figura 3]. As possibilidades para o banco de informações, após identificado o objeto, são ilimitadas, pois os usuários também podem se tornar colaboradores, adicionando conteúdo.

Esse aplicativo está inserido em um conceito, o AR (Augmented Reality ou Realidade Aumentada), que segundo Ronald Azuma [4] pode ser entendido como uma sobreposição de elementos de realidade virtual com o mundo real, criando um ambiente misto em tempo real. No Brasil, há uma Comissão Especial de Realidade Virtual e Aumentada da Sociedade Brasileira de Computação (CERV/SBC) constituída por pesquisadores, professores, profissionais e estudiosos de todo o Brasil, que tem produzido dois eventos anuais e publicações. O mais importante dos eventos é o Simpósio de Realidade Virtual e Aumentada [5] , que já vai para sua décima segunda edição em maio de 2010, na cidade de Natal – Rio Grande do Norte.

Figura 3 – Demonstração de funcionamento do Wikitude World Browser em um smartphone [6] . Fonte: www.wikitude.org, 2009.

Alguns conceitos e tecnologias, como o GPS, que a menos de dez anos poucos entendiam e conseguiam imaginar seus usos para o dia a dia, hoje se tornaram comuns entre usuários civis. Agora, qualquer pessoa (com 1000 reais no Brasil ou 100 dólares nos Estados Unidos [7]) pode adquirir equipamentos que possuam GPS integrado - um smartphone, por exemplo - e ter acesso a informações antes inimagináveis, em tempo real, na palma da mão.

A editora do blog GPS 1001 [8], Ágatha Branco, escreveu em março de 2009, sobre o GPS: as aplicações são infinitas, porém como conseguimos ficar tanto tempo sem elas? E diante desta indagação, apresentou uma lista feita pela Wharton School, universidade da Pensilvânia, com as principais tecnologias que mudaram o mundo nos últimos trinta anos, na qual - claro - o sistema GPS não poderia estar de fora. Nesta lista, intitulada The Top 30 Innovations of The Last 30 Years [9], o sistema GPS aparece em 14º lugar logo após a internet, computadores e laptops, telefones celulares, softwares e serviços livres (como Linux, Wikipedia), o cristal líquido (LCD) e a fibra óptica.

1 iTunes Store – site: www.apple.com/itunes
2 WIKITUDE – www.wikitude.org
3 Android é um sistema operacional para telefones móveis como o G1 – Google Smartphone -, desenvolvido em Linux pela Google. Site: www.android.com
4 Ronald Azuma em site: pt.wikipedia.org/wiki/Realidade_aumentada Ver também: www.realidadeaumentada.com.br
5 http://www.dimap.ufrn.br/svr2010
6 Smartphone é um telefone celular com funcionalidades avançadas. Ver site: pt.wikipedia.org/wiki/Smartphone
7 http://store.apple.com
8 http://infogpsonline.uol.com.br/blogs/gps1001
9 http://www.knowledgeatwharton.com.cn

Nenhum comentário: