Páginas

Capa de Livro - Programação Visual

Minha tarefa de hoje é desenvolver uma capa para livro.
Esse é o primeiro projeto da matéria PROGRAMAÇÃO VISUAL E OS ESPACOS URBANOS E ARQUITETÔNICOS, lecionada pela professora Najla Jorge Lucresia na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFBA. O livro para o qual vamos criar uma capa é Design e Comunicação Visual, de Bruno Munari.

Devemos fazer uma capa que passe imediatamente para as pessoas que esse não é um livro de contos brasileiros nem de paisagismo ou de matemática, e sim um livro de arte, de design. Também foi pedido que usássemos formas abstratas ou, eventualmente, formas abstratas simbolizando algo real.

Ainda ontem na aula procurei encontrar alguma identidade de formas e cores, usando lápis de cor. Mas não me senti segura. Preciso saber o que expressa comunicação visual para pessoas que já conhecem esse termo a mais tempo.

Primeiro passo: procurar a capa atual desse livro.
Encontrei três versões - duas da editora Edições 70 [2006 e 1995, respectivamente] e uma da Martins Fontes [capa avermelhada].

A do meio é uma capa padrão de uma série de livros. A capa vermelha também obedece um padrão de livros da área. A primeira, brancona, talvez seja a mais expressiva, no final das contas, parecendo optar pela clareza da informação escrita. Uma vez que o livro já é conhecido e as pessoas vão comprá-lo pelo nome e não pela capa, melhor deixar seu texto ser o grande destaque da apresentação.

Nessa capa, da edição mais nova - de 2006, a chave comercial explorada é o nome do autor e do livro. Esses dois elementos ganharam prioridades semelhantes, recebendo o nome do autor uma coloração mais forte, mais contrastante com o fundo branco, mostrando que ele tem ainda maior importância. O não espaçamento entre o nome do autor e do livro ainda pode significar que eles estão intimamente associados, diretamente ligados, são interdependentes.

Apesar de não me incomodar, eu não entendi muito porque há um espaço em branco tão grande na parte inferior da capa. Mas eu também não mudaria isso. Acho que é um tipo de provocação, uma "piada interna" talvez! Um espaço para o leitor? Não sei. Um dia eu vou entender! *risos*

Fiz uma busca por outros livros de design para tentar criar um conceito sobre uma capa para este tema. As que mais me chamaram atenção e pareceram coerentes ao tipo de conteúdo foram essas: Uma cor sólida ocupando maior parte do espaço parece um recurso frequentemente utilizado. Alguns objetos como móveis, roupas, embalagens aparecem em algumas capas de livros mais específicos. Mas para nosso livro em questão que, apesar de eu não ter lido ainda creio ter abordagem menos física e mais abstrata do tema, uma capa para falar dele deve buscar elementos metalinguísticos repletos de simbologias próprias da comunicação visual.

Outras capas que encontrei no site da Livraria BKS, que vende livros de arquitetura, urbanismo, design e arte [o terceiro - com uma rede, de fundo preto - é a capa da versão italiana do nosso livro]:

É divertido tentar extrair o conceito de algumas dessas capas, em especial eu citaria as da coleção abcDesign que são a do olho, da banana e a da mão fechada. O livro Como combinar e escolher cores para o design gráfico é outro que eu diria "Esse sem dúvida tem uma capa que passa a mensagem!".

***

"Bruno Munari (Milão, 24 outubro 1907 – Milão, 30 setembro 1998) foi um artista e designer italiano.
Foi um do maiores protagonistas da arte, do design e da grafica do século XX, dando contribuições fundamentais em diversos campos da expressão visual [pintura, escultura, cinematografia, design industrial, grafica] e não visual [escrita, poesia, didática] com uma busca poliedrica sobre os temas do jogo, da infância e da criatividade."

Leia mais em http://it.wikipedia.org/wiki/Bruno_Munari

Outro site muito legal que encontrei nas minhas buscas foi o da Associação Nacional de Professores de Educação Visual e Tecnológica de Portugal. Vale a pena dar uma olhada!

de Bruno Munari

2 comentários:

Rodrigo disse...

Boas observações! Estou ansioso pra conhecer a sua capa :)

Denise Vaz de Carvalho Santos disse...

* Pelo que foi levantado em sala ontem, o livro não fala de coisas tão abstratas assim.